Segredos do Pênis II


Segredos do Pênis II

 

            Pênis torto atrapalha o prazer com certeza. Quando o pênis é levemente torto por inteiro quando em ereção pode ser normal. Quando a tortuosidade for para os lados, para cima ou para baixo de parte do Pênis, ocasionando dor ou   dificuldade de penetração, se fala em Doença de Peyronie, que deve ser tratada por médico urologista. Em casos mais avançados, a placa de fibrose desta doença pode originar curvatura peniana impedindo a penetração vaginal. Quando o comprometimento dos corpos cavernosos é extenso, a ereção fica impossível. O diagnóstico é simples, feito através das queixas do paciente e da palpação da placa e confirmadas por raio-x e ultrassom.

Outro assunto é a masturbação. O mito aqui é que homem que é homem se masturba com freqüência. Esta forma da procura do prazer isolado não significa  maior ou menor masculinidade. A grande maioria dos homens se masturbam ou se masturbaram (98%) enquanto as mulheres em 25%. Adaptada do latim «masturbári» que quer dizer «esfregar com a mão», a masturbação é definida como a estimulação sexual dos órgãos genitais. A masturbação deve ser encarada como uma forma alternativa de exprimir a própria sexualidade em situações de exploração do próprio corpo ou quando do isolamento de um parceiro sexual. A idéia antiquada e sem fundamento de que  a masturbação é prejudicial à saúde deve ser rejeitada, pois se sabe que ela pode ajudar no conhecimento das nossas próprias  respostas sexuais e  na preparação do corpo para o contacto com um(a) futuro(a) companheiro(a).

            A masturbação é usada há muito tempo e ainda hoje pelos terapeutas sexuais, como parte das técnicas de tratamento das disfunções sexuais masculinas e femininas. A masturbação existe em todos os grupos de idades, desde as crianças aos idosos.

            É importante lembrar a diferença entre a ejaculação e o orgasmo. O prazer masculino pode ocorrer durante toda a relação de erotização, preliminares, penetração e principalmente no orgasmo. A ejaculação é a eliminação dos espermatozóides junto com secreções da próstata e da vesícula seminal. É a resposta física enquanto o orgasmo é a resposta sensorial. Também se deve saber que é possível o homem ter o orgasmo sem ejacular. No caso de ter sido operado de câncer de próstata que leva a uma mudança anatômica, onde o esperma vai para a bexiga no orgasmo e este é “seco” ou seja as sensações do prazer maior ocorrem e não sai nada do pênis.

Ocorre mais comumente o contrário, ejaculação sem orgasmo. Neste caso sai  o semem e não há sensações de um prazer maior. Aqui as causas são de caráter emocional, onde o homem tem a resposta física (ejaculação) e não tem o prazer (orgasmo).

Lembre que todo homem pode não conseguir ou perder a ereção em algum momento da sua vida. Mesmo os mais jovens. A ereção depende diretamente de fatores emocionais e se estes são negativos podem provocar a perda da ereção. Fala-se em impotência ou disfunção erétil quando as falhas são constantes causando muito sofrimento, medo e dificuldades no relacionamento dos casais.  A Disfunção Erétil (DE), também conhecida como impotência, é a incapacidade de conseguir ou sustentar  uma ereção adequada para uma relação sexual. A DE é uma moléstia comum, tratável e que, somente no Brasil afeta cerca de 20 milhões de homens. Ainda assim, os dados mostram que menos de 10 por cento dos homens afetados acabam, de fato, sendo tratados. Acredita-se que o número dos que recebem tratamento seja pequeno devido à relutância que os homens têm em discutir o assunto com seus médicos.

A “dureza” do pênis na ereção depende de vários fatores como excitação, envolvimento emocional, erotização e principalmente da emoção que aquele homem está vivendo naquele momento. Quanto maior excitação melhor a ereção.

 É interessante saber que a sensibilidade do pênis permite sentir a temperatura e os movimentos da vagina no momento do orgasmo feminino. O pênis tem sensibilidade para sentir a temperatura, os movimentos e as contrações musculares da vagina, principalmente no momento do orgasmo da mulher. Esta sensibilidade pode ser aprimorada pelo treinamento, observação, e aprendizado nas relações sexuais futuras.

 

DR CELSO MARZANO –Urologista e Terapeuta Sexual-

Diretor das Clínicas CEDES

58892 acessos desde 14 de setembro de 2006.