LLM-Gender-Sexuality-and-Human-Rights   O sentido da vida amorosa está  presente desde os primeiros dias  da infância, até a fase adulta e  terceira idade. As atitudes, gestos,  vivências e idéias, preconceitos e  superstições aprendidos na  infância, serão utilizados correta ou  incorretamente, na tentativa de  ajustamento psicossexual e  emocional do adolescente e, mais  tarde, do adulto.

 

A Sexualidade é um modo de expressão estreitamente ligado à sensibilidade. Estamos sempre aprendendo. A sexualidade é uma experiência viva, dinâmica e integrada ao processo de desenvolvimento do ser humano… em todas as idades… em todos os sentidos.

 

Os fatores genéticos e a produção de hormônios têm um papel determinante na morfologia sexual (características físicas) dos homens e das mulheres. A identidade do gênero (homem ou mulher), a orientação e as preferências sexuais estão muito condicionadas pelo ambiente sócio-cultural

*************************************************************************************************************************************************     Itens sobre sexualidade ABAIXO.

TERAPIA SEXUAL - PARTE I

Terapia Sexual I

Uma dona de casa lê um artigo e descobre que sofre de uma disfunção orgástica, ou seja, incapacidade de alcançar o orgasmo nas relações sexuais. Um homem de negócios bem sucedido torna-se sexualmente impotente e não consegue descobrir qual a causa dessa disfunção. Para solucionar suas dificuldades sexuais a quem deveriam recorrer essas pessoas? Com certeza a um terapeuta sexual.
Há muito pouco tempo não existiam especialistas que pudessem tratar adequadamente os portadores de tais distúrbios. Muitos médicos chegam mesmo a evitar a abordagem franca de questões sexuais na prática clínica, por sentirem-se pouco à vontade nessa área específica de atuação profissional. Não é crítica, pois não existiam estudos sobre o assunto mesmo nas faculdades de medicina e este era tratado de forma muito superficial.
 
O Terapeuta Sexual é um profissional com treinamento específico para a abordagem de dificuldades sexuais. Na maioria das vezes, seja ele psicólogo ou médico, o terapeuta sexual tem condições de orientar os problemas emocionais que com freqüência estão ligados às disfunções sexuais.
 Em muitos casos, as disfunções sexuais podem ter suas raízes em causas mais imediatas e mais simples, do nosso dia a dia, do stress contínuo, da ansiedade crescente e também por causas orgânicas, doenças que alteram a nossa resposta sexual. Muitos pacientes respondem rápida e favoravelmente aos métodos de tratamento planejados, eliminando os obstáculos ao funcionamento sexual normal e prazeroso.
A Terapia Sexual se propõe a eliminar a disfunção sexual do paciente e esta terapia utiliza exercícios sexuais de comunicação como parte essencial do tratamento. Evitamos o papel tradicional do médico de assumir a postura de autoritarismo e paternalismo. No entanto, é certo que ele tome parte ativa dirigindo, interpretando e determinando os objetivos do paciente.
O terapeuta atua, no casal, como facilitador do seu crescimento e de sua mudança caminhando para a melhora ou cura da disfunção sexual. Com freqüência o terapeuta participa ativamente nas reações dinâmicas que se estabelecem no casal, retirando-se de campo assim que possível devolvendo-lhes a responsabilidade.
Sabemos hoje que as disfunções sexuais são também reflexos de influências culturais e emocionais do que propriamente “doenças”.Antes de se confirmar um diagnóstico de disfunção sexual como impotência ou vaginismo, é essencial afastar a possibilidade de um distúrbio orgânico. Isto é realizado com exames físicos e complementares que confirmem ou esclareçam a doença.
É fundamental que haja a participação do (a) companheiro (a) do (a) paciente em tratamento, pois, toda disfunção sexual lhe repercute em maior ou menor grau. Se o tratamento for realizado apenas com a pessoa em quem se manifesta a disfunção, o outro parceiro pode destruir ou comprometer grande parte do esforço terapêutico por incompreensão da verdadeira natureza da dificuldade do casal.O fundamental na terapia sexual é estabelecer um relacionamento tranqüilo e mais afetivo entre o homem e a mulher.
Em resumo, o tratamento inicia-se com uma consulta individual e após com o casal, quando se explicam os processos e os objetivos do tratamento. Se o casal concordar iniciam-se sessões de terapia quando se recomenda a troca de carícias íntimas suaves e afetuosas para que os parceiros descubram naturalmente os chamados focos sensoriais um do outro (as regiões que mais se sente prazer).
A linguagem do tato é reforçada por estímulos olfativos e visuais. O importante é o casal descobrir que a função sexual não é apenas expressão física. O tratamento evolui com exercícios e orientações sexuais que o casal realiza em casa. Ocorre uma aproximação intensa e cada um dos parceiros pode descobrir novas respostas sexuais próprias ou do outro, nunca antes percebidas.
Como a comunicação dos parceiros em nível corporal melhora sensivelmente, o relacionamento torna-se mais espontâneo e a solução da disfunção sexual começa a aparecer.
Podemos concluir que quando o casal ou somente o paciente com sintomas se integra totalmente no tratamento, a terapia sexual dá excelentes resultados. 

TERAPIA SEXUAL - PARTE II

Terapia Sexual II

Massagem erótica, praticar o exercício do freio para a ejaculação precoce, lamber o próprio corpo, relaxamento: essas são algumas das técnicas que recomendo para casais para melhorar ou resolver problemas sexuais. Hoje sabemos que 60% dos casais tem algum tipo de disfunção sexual, maior ou menor, que estão deixando cada vez mais parceiros preocupados e caminhando para um afastamento progressivo se não submetidos a algum tipo de tratamento especializado.
Para melhorar e aumentar o desejo sexual devemos:
– Melhorar o nosso corpo, praticando algum tipo de exercício físico.
– Diminuir ou parar de beber e fumar.
– Só usar medicamentos prescritos por médicos;com exceção de sintomáticos leves.
– Consultar seu urologista e ginecologista de ano em ano.
– Usar preservativos para evitar doenças.
– Tentar repetidamente diminuir o stress do dia a dia.
– Aumentar sua auto-estima.
– Usar a sua imaginação para possíveis mudanças de seu comportamento depressivo, chato, pessimista, com muitas cobranças dos outros e de si mesmo.
Também na esfera sexual, a prevenção das doenças físicas e psicológicas é muito importante, incluindo-se a orientação sexual em relação às mudanças que ocorrem com o crescimento, tirando suas dúvidas e melhorando suas respostas sexuais.
Hoje, pela falta de dinheiro, o desemprego e outros fatores negativos que levam as pessoas a não terem boas perspectivas de futuro, tornando-as pessimistas e com a auto-estima muito baixa. Vamos selecionar mais os níveis de estresse e preocupar-nos com os realmente importantes. Não podemos nos preocupar com coisas fúteis e temporárias.
Devemos nos olhar no espelho e dar valor às coisas boas que temos: poder falar, entender, movimentar-se, fazer amor , amar e ser amado.
 Na sexualidade, transmitindo calor humano, sentimento e dando carinho, vamos receber carinho e as respostas sexuais serão positivas.
 É difícil, com todo o estresse que nos cerca hoje em dia, relaxar no momento sexual e esperar um ótimo desempenho, levando-nos a uma enorme ansiedade.
Deixe seus problemas do trabalho longe da sua casa. São em média 3 a 5 horas que você passa em casa com a sua família e não as desperdice. Chegue mais perto de sua esposa ou esposo, filhos e pais com mais beijos e abraços. Namore mais. Não deve haver cobranças sexuais e quando houver problemas procure uma ajuda profissional. Vamos melhorar nosso dia a dia traçando uma estratégia de vida sadia, prática e de fácil execução.
As maiores queixas sexuais femininas são falta de desejo, incapacidade de atingir o orgasmo e as masculinas são a ejaculação precoce e a falta ou manutenção da ereção. Como a terapia sexual lida com estas queixas? Eu prefiro atender o casal, mas de início a consulta é individual. Uma vez descartada a origem orgânica do problema, trabalho o lado emocional dos pacientes, aliando conversas, exercícios e técnicas sexuais, melhorando não só a sexualidade como também o relacionamento e a aproximação do casal.
Tenho que lidar com a relutância (teimosia) dos parceiros sexuais para com o tratamento. Saibam que 55% a 60% das mulheres e 30% a 35% dos homens tem algum tipo de problema sexual e um homem com impotência leva em média 5 anos para procurar um médico. No entanto as mulheres estão cada vez mais exigentes em relação ao comportamento sexual do parceiro.
O valor e o sucesso da terapia sexual hoje para disfunções sexuais é indiscutível e comprovado. Com muitos anos de experiência (mais de 20), cheguei a conclusão que as doenças sexuais propriamente ditas são poucas e que muitos sintomas e sinais de problemas sexuais são decorrentes da falta de conhecimento do próprio corpo e como ele funciona na esfera das respostas sexuais. Portanto a orientação sexual dá o que falta aos casais: oportunidade de aprender sobre si mesmos, estudar as suas respostas sexuais, como elas aparecem e porque as vezes não funcionam do jeito esperado. Estude mais as suas sensações e emoções e viva melhor.

Eu sou um bloco de texto. Clique no botão Editar (Lápis) para alterar o conteúdo deste elemento.

TOCAR E SER TOCADO

Tocar e ser Tocado

  • Um banho, sinta a água quente na sua pele;
  • Desligue o chuveiro, faça bastante espuma nas mãos com um sabonete líquido e comece uma massagem pelo rosto, depois pescoço, ombros, braços e vá até os pés;
  • Vá respirando lentamente, sentindo o perfume do sabonete;
  • Depois deixe a água levar a espuma e, com ela, as tensões acumuladas;
  • Após o banho na cama com seu parceiro faça um jogo sensual e acariciem um ao outro;
  • Diga-lhe que deite de bruços e feche os olhos;
  • Deslize suas mãos pelo corpo do parceiro, em todos locais, acariciando-o;
  • Repita na parte da frente sem necessariamente tocar nas partes genitais;
  • A seguir troque de posição e sugira que ele a massageie;
  • Sinta o prazer de tocar e ser tocado;

SEXUALIDADE NA TERCEIRA IDADE - PARTE O1

Sexualidade na Terceira Idade – PARTE 01

MUDANÇAS NO HOMEM ( TERCEIRA IDADE)
No homem o processo de envelhecimento é diferente.
Normalmente o homem não pensa que o seu tempo acabou. A produção de espermatozóides após os 40 anos é menor mas não totalmente ausente .Há redução da produção de testosterona, mas de forma lenta e pouco pronunciada. Há porém homens que desencadeiam crises com sintomas psicológicos como depressão, irritabilidade, falta de impulso sexual e queda dos níveis de testosterona.
Em resumo, as mudanças são:
– maior tempo e estimulação genital mais direta.
– A ereção é menos rígida.
– existe menor necessidade física de ejacular e maior controle desta.
– diminuição do volume do sêmen e do jato no orgasmo,
– às vezes diminuição da resposta orgástica,
– queda da ereção mais rápida após a ejaculação .
Como são mudanças lentas, são mais fáceis de se adaptar e de serem aceitas.
MUDANÇAS NA MULHER ( TERCEIRA IDADE)
Na mulher há uma mudança em nível pessoal e social que se inicia entre os 48 e 51 anos que é a menopausa, ou seja o fim da menstruação e da função reprodutiva. Após este tempo a mulher tem hoje mais ou menos 25 anos pós menopausa onde não deve ser desprezada a sua sexualidade.Com a menopausa as mudanças fisiológicas atróficas ocorrem na pele, mamas, mucosa genital e também há sintomas psicológicos como irritabilidade ou mudanças de humor, variáveis de mulher para mulher.
As mudanças sexuais são mais lentas e progressivas pela diminuição na produção de hormônios femininos. Efetivamente, a resposta sexual sofre algumas alterações, mas não desaparece. Por outro lado, a situação pós menopausa, é vantajosa: não há o temor da gravidez, não despende tanto tempo para cuidar dos filhos e geralmente se libertou de inibições que atrapalhavam sua vida sexual anterior.
EM RESUMO AS MUDANÇAS SÃO:
 
 1- Presença dos “fogachos” = subitamente aparecem palpitações ,sensação de mal estar, aparece uma onda de calor que sobe pelo peito, as mãos ficam inchadas e quentes, as faces parecem arder como fogo. Após pode vir a transpiração.
2- Redução da produção pelos ovários dos hormônios.
3- Desaparecimento progressivo da ovulação ou seja da fertilidade.
4- Diminuição ou desaparecimento da menstruação.
5- Ocorre transformações no aparelho reprodutor feminino: os grandes lábios ficam enrugados; os pequenos lábios praticamente desaparecem; o períneo perde a sua elasticidade, ocorre queda de pelos; a vagina encurta e se estreita e sua elasticidade se reduz; a mucosa interna se afina e se resseca(diminui a lubrificação vaginal); ocorre enfraquecimento de toda musculatura perineal devido a um processo gradual de atrofia.
6- Nas mamas há diminuição do tecido glandular que é substituído por tecido gorduroso que mais tarde desaparece e estas ficam flácidas e com excesso de pele.
7- Maior possibilidade para outras doenças como a osteoporose, arteriosclerose, incontinência urinária aos esforços ,cistites , etc.
REGRAS PARA MELHORAR O SEXO NA TERCEIRA IDADE
1 – Manter durante toda a vida uma prática sexual contínua e equilibrada . A regra diz: quanto mais atividade sexual maior a possibilidade de se manter desta forma, quanto menos sexo menos vontade e a freqüência diminui. O equilíbrio no relacionamento sexual quando jovens é mantido com o passar dos anos. O importante é ter uma vida sexual regular. Se para a mulher jovem é importante a prática sexual com regularidade, para a idosa isso é ainda mais necessário, pois seu desempenho sexual depende muito mais da regularidade que o da mulher jovem.
Na prática essa atitude eqüivale a um processo de auto-estimulação : quanto maior a atividade sexual mais possibilidades de melhorar as condições dos órgãos afetados pelo envelhecimento e, em conseqüência, maior disposição e interesse em prosseguir com a atividade sexual.
2 – Cuidar do estado geral da sua saúde. Deve-se evitar fatores que diminuem a sua saúde ( evitar álcool em excesso, evitar o fumo, diminuir a ingestão de colesterol, sal , o excesso da açúcar e principalmente diminuir o stress e a ansiedade).
3 – Conhecer e se adaptar às mudanças fisiológicas vindas com a idade ( como menor freqüência de coitos; mais relaxados; mais afetivos; mais prazerosos)
4 – Adaptações sexuais necessárias e que ajudam na sexualidade:
a) mais aptidões manuais e tácteis (dar mais valor para carinhos, beijos, agrados, etc. , nem sempre tendo como resultado o coito)
b) variedades sexuais – necessárias para tirar a monotonia da repetição e o desgaste do dia a dia.
c) imaginação – muito necessária para aprimorar as relações sexuais e ter a cada dia maior possibilidade de prazer.
d) fantasias sexuais – também ajudam a melhorar a sexualidade dos casais.

SEXUALIDADE NA TERCEIRA IDADE - PARTE 02

Sexo na Terceira Idade – Novos conceitos

A população de + de 60 anos no século XXI crescerá 107%. De 1950 a 2025 o número de pessoas com + de 60 anos aumentará 15 vezes.Isto se deve pelas melhores condições sanitárias de vida ,pelas prevenções de doenças realizadas pelos governos e pela descoberta de novos medicamentos , entre outros fatores.Desta forma cresce a cada dia a população idosa, também no Brasil , e a sexualidade destes que foi sempre abolida e colocada em segundo plano deve agora ser cada vez mais presente e praticada. Vamos, mostrar as mudanças físicas e psicológicas que ocorrem com a idade e, o que se pode fazer para melhorar estas condições na prática.

ALTERAÇÕES NA RESPOSTA SEXUAL MASCULINA ( TERCEIRA IDADE )
– No desejo sexual: Por fatores culturais e psicológicos o homem se acha velho e com dificuldades para encontrar parceiras ficando fechado em casa e com medo de passar vergonha frente a uma mulher.Ocorre no corpo diminuição das taxas de testosterona, de dopamina, que é um neurotransmissor importante na resposta sexual e um aumento de prolactina que bloqueia o desejo sexual.
– Na excitação: As áreas erógenas ficam concentradas na região dos genitais externos, perdendo muito a sua excitação pelo carinho na pele de quase todo o corpo. A ereção é menos rígida.Também o tempo para ter uma ereção é mais lento e após o orgasmo para repeti-la é quase impossível.
– No orgasmo: Há uma diminuição normal do volume e do jato do esperma.Também pode perder a sensação da vinda do orgasmo, ou seja, pode “gozar” sem sentir e não consegue segurar.
Psicologicamente o homem pode pensar que o seu tempo sexual acabou. Há, porém, homens que desencadeiam crises com sintomas psicológicos como depressão, irritabilidade, e falta de vontade de viver, podendo leva-lo até ao suicídio.
ALTERAÇÕES NA RESPOSTA SEXUAL FEMININA ( TERCEIRA IDADE)
Na mulher há uma mudança em nível pessoal e social que se inicia entre os 48 e 51 anos que é a menopausa, ou seja o fim da menstruação e da função reprodutiva.Com a menopausa as mudanças fisiológicas atróficas ocorrem na pele, mama, mucosa genital e também há sintomas psicológicos como irritabilidade ou mudanças de humor, variáveis de mulher para mulher.As mudanças sexuais são mais lentas e progressivas pela diminuição na produção de hormônios femininos. Efetivamente, a resposta sexual sofre algumas alterações, mas não desaparece.
No desejo: Os mitos levam a mulher a pensar que não precisa mais de sexo e que cumpriu a sua obrigação de mulher, se afastando do parceiro e deixando toda a sua sexualidade de lado.Pela diminuição do hormônio testosterona ela perde a libido.
– Na excitação: As áreas erógenas também se concentram na região genital deixando de ter respostas ao toque e ao carinho no resto do corpo.A lubrificação da vagina diminui favorecendo o aparecimento da dor na penetração do pênis. A mucosa interna se afina e se resseca; ocorre enfraquecimento da musculatura perineal devido a um processo gradual de atrofia. Nas mamas há diminuição do tecido glandular que é substituído por tecido gorduroso que mais tarde desaparece e estas ficam flácidas . Desta forma ocorre diminuição das reações mamárias e diminuição da lubrificação vaginal.
– No orgasmo: A intensidade e a capacidade de multiorgasmos se mantêm, mas os números de contrações orgásticos são menores, mudando a sua sensação. Após o orgasmo outra mudança é o retorno mais rápido da mulher ao seu estado normal igual ao de antes do início da excitação.


Mas não se assuste, pois um homem ou uma mulher com vida sexual ativa terá todas estas mudanças mais lentas e mais amenas e até às vezes não ocorrerão a ponto de mudar sua freqüência de relações sexuais e também as suas reações e sensações. O equilíbrio no relacionamento sexual quando jovens é mantido com o passar dos anos. O importante é ter uma vida sexual regular. Na prática essa atitude equivale a um processo de auto-estimulação: quanto maior a atividade sexual, mais possibilidades de melhorar as condições dos órgãos afetados pelo envelhecimento e, em conseqüência, maior disposição e interesse em prosseguir com a atividade sexual.

COMO MELHORAR


Homens e mulheres estão vivendo até idades cada vez mais avançadas e em condições de saúde melhores do que no passado.Mas apenas sobreviver fisicamente não basta para que o indivíduo tenha uma velhice feliz. Outros aspectos devem ser valorizados embora sejam pouco discutidos; um deles é a sexualidade dos velhos que até hoje é praticamente ignorada em todas as culturas.
Quando um casal enfrenta o fato de envelhecer de forma realista e tenta se adaptar a isto, não tem porque pensar em diminuir o prazer nas suas relações sexuais.Por dispor de mais tempo e mais intimidade do que quando jovens e também por não esperar grandes performances sexuais do outro, estão mais preparados para que a realização total venha em todas as formas de contato íntimo do corpo.
Há uma necessidade normal das pessoas na terceira idade de desfrutarem de uma afetividade e de condições de vida que permitam a tranqüilidade, a intimidade e a troca de sentimentos e carinhos para manter relações, se assim o desejarem.
A sexualidade existe de forma concreta em pessoas mais idosas e não há limites de idade para se manter uma atividade sexual mesmo com as mudanças fisiológicas e sociais. Havendo uma adaptação a estas, a prática sexual pode e deve existir de maneira gratificante e prazerosa.

CAMISINHA MASCULINA E FEMININA - COMO COLOCAR?

PARA USAR A CAMISINHA: O JEITO MAIS FÁCIL DE COLOCAR A FEMININA:

1 – Com o dedo indicador entre o polegar e o dedo médio, aperte o aro do fundo para inseri-lo na vagina.

2 – Com a outra CAMISINHA FEMmão, separe os lábios  vaginais e insira a camisinha comprimida  no canal vaginal

3 – Posicione-a no fundo da vagina com o  dedo indicador. Deixe 2cm da camisinha  para fora. Ajuste o anel externo para cobrir os grandes lábios.

4 – Para retira-la sem riscos de o esperma vazar, gire a sobra da camisinha e puxe. Dê um nó, enrole em papel higiênico e jogue no lixo.

Feminina: a melhor posição para inseri-la é ficando de pé e apoiando um dos pés numa cadeira.

 

PARA USAR A CAMISINHA: O JEITO MAIS FÁCIL DE COLOCAR A MASCULINA:

1 – Comece certo: rasgue o pacote com as mãos e não com a boca, pois isso pode   danificar o preserCAMISINHA MASCvativo.

2 – Antes de coloca-lo, sopre o  preservativo para liberar o  reservatório de esperma (aquela  pontinha da camisinha).

 

3 – aperte a ponta do preservativo com o polegar e o indicador para a retirada do ar. Posicione-o na cabeça do pênis, segurando o bico.

4 – Desenrole até a base do órgão. O bico ficará para fora, para reter o esperma. Após a ejaculação, retire o preservativo com o pênis ainda ereto, dê um nó e jogue no lixo.

Masculina: Deve ser colocada assim que o pênis ficar ereto. Dica: Deixe-a em local de rápido acesso, para não quebrar o clima

EXERCÍCIOS VAGINAIS - TÉNICA DE KEGEL

Exercícios vaginais: Para fortalecer a região pélvica e aumentar o prazer.

Técnica de Kegel

Esses exercícios, criados pelo ginecologista Arnold Kegel, fortalece a musculatura vaginal e permite que a mulher sinta mais prazer durante a penetração. O homem se beneficia, pois a parceira aprende a massagear o pênis com a vagina, por meio de contrações. Eles também são indicados para mulheres com a flacidez pós-parto ou problemas de incontinência urinaria.

1 – Contração vaginal

Sentada numa cadeira, contraia os músculos da vagina como se apertasse algo dentro dela. Conte até três e relaxe. Repita dez vezes.Em seguida contraia e relaxe a musculatura rapidamente, como se imitasse o ritmo de uma respiração ofegante. Conte dez vezes. Total 20 repetições

2 – Contração do glúteo

De pé, contraia o bumbum. Tente unir as nádegas o máximo que puder. Conte até três e relaxe. Faça dez vezes. Em seguida contraia e relaxe o bumbum mais rapidamente, imaginando que acompanha uma respiração ofegante. Conte dez vezes. Total 20 repetições.

3 – Bambolê

Com as pernas semi-flexionadas, faça movimentos circulares, como se usa-se um bambolê.São quatro tempos:

  • A pélvis para cima e pra frente; 2) O quadril vai para a esquerda; 3) O bumbum é empinado para trás; 4) O quadril vai para esquerda. Total 10 repetições.

4 – Contração anal

Deitada, flexione as pernas e eleve o quadril. Fique apoiada apenas sobre os ombros e os pés. Contraia o bumbum, conte até três e solte. Faça dez vezes. Relaxe o corpo. Volte à posição inicial e contraia o ânus em três tempos: de leve, mais forte e com toda a intensidade. Faça dez vezes e relaxe. Retome o exercício, só que desta vez contraia também a vagina, como se quisesse sugar alguma coisa com ela. Faça dez vezes. Total: 30 repetições

 

5 – Recostada na cama, insira um dos dedos na vagina e aperte-o o máximo que puder. Caso não consiga apertar com um dedo, tente com dois. Faça dez vezes.

Depois, tente sugar o dedo com a vagina. Ajude com a respiração: Inspire e prenda o ar. Conte até três. Faça dez vezes. Total : 20 repetições

POMPOARISMO

Pompoarismo:

Técnica milenar oriental, a diferença para os exercícios de Kegel é o uso de bolinhas ben-wa, que parecem de pingue-pongue, unidas por um cordão. Ou de vibrar. À venda nos sex-shops.

1 – Sucção com bolinha bem-wa

Lubrifique as bolinha com gel à base de água, vendido em farmácias. Insira uma delas na vagina, tente sugar a outra com a vagina. A tentativa de sucção já é um exercício que dá resultado. Nas primeiras vezes, ajude a inserir a segunda bolinha com o dedo. Repita cinco vezes. Tente expeli-las. No começo, ajude puxando pelo cordão. Faça cinco vezes.

2 – Pressão com o vibrador

Lubrifique o vibrador, introduza de 3cm a 5cm na vagina e aperte o vibrador. Solte. Repita dez vezes. Introduza mais um pouco: de 8cm a 10cmno total. Aperte –o com a parte mais interna da vagina. Solte. Repita dez vezes. Agora, aperte-o com o canal todo. Faça dez vezes. Última etapa: coloque a ponta do vibrador na entrada da vagina tente suga-lo e, depois. Expeli-lo. É difícil conseguir nas primeiras vezes. Não desista. Repita cinco vezes.

IDEIAS ORIENTAIS - KAMA SUTRA E ANAGA RANGA

Idéias orientais:

Posições de dois manuais hindus: o pioneiro Kama Sutra e o Ananga Ranga, escrito mil anos depois, no final do século XV.

Posições do Kama Sutra

Segundo a filosofia indiana, para o sexo ser prazeroso os beijos devem imitar a penetração do pênis na vagina; as unhas podem ser usadas para arranhar levemente os mamilos; a boca tem papel de destaque quando espalha mordidas pelo corpo inteiro. Tudo isso complementa a posição a segui:

  • Égua de Kama:

A mulher se encaixa em cima do homem sentado, de costas para ele, Pode (e deve!) estimular o clitóris com as mãos.

  • Muito aberta:

Deitada embaixo do homem, ela eleva o quadril e contrai o bumbum. Ótimo para ela. O clitóris fica elevado e é massageado pelo corpo do parceiro durante a penetração.

  • Mulher de intra:

O homem fica ajoelhado.a mulher aproxima as coxas do seio e apóia o bumbum nas pernas do parceiro. Boa posição para fazer contrações vaginais durante a penetração.

  • Meia pressão

Ela eleva as pernas e apóia um dos pés no tórax dele. A outra perna fica estendida no ar. É bem exótica. O clitóris é estimulado com os movimentos da penetração.

  • Reunião apoiada

De pé, o homem pressiona a mulher contra a parede, para que isso sirva de apoio. Ela eleva as duas pernas e ele a segura pela parte posterior das coxas ou pelo bumbum. Dá uma sensação interessante: parece que a mulher se movimenta no ar.

 

  • Balanço

Ele se deita de barriga para cima e flexiona as perna. Ela se ajoelha e se encaixa em cima dele, porém de costas para ele. Boa posição para o homem: ele tem uma visão interessante do corpo da mulher.

  • Posição abraçada

Os dois se entrelaçam: ela envolve o corpo dele com as coxas. Ele faz o mesmo com o dela. Tem ares de malabarismos…

  • Abraço de joelho

O homem se ajoelha, a mulher fica apoiada em um dos joelhos. Se quiser, ela pode abraçar a cintura dele com a outra perna.

****************************************************************************************************

Posição do Anaga Ranga

É um outro manual oriental de amor e sexo. De origem hindu, foi escrito após o kama Sutra. O objetivo é dar sugestões para o casal quebrar a rotina do casamento, fortalecendo, assim, os laços entre os dois. A seguir, quatro posições interessantes:

  • Posição de lótus

Ele seta com as pernas cruzadas; ela se encaixa em cima dele e envolve a cintura do parceiro com as pernas.

  • Armadilha da serpente

A mulher senta e se encaixa sobre o homem. As pernas da mulher ficam semi-flexionadas. Uma segura nos tornozelos do outro. A parceira controla a movimentação.

  • Postura refinada

Ele fica de joelhos e a parceira, deitada. O homem segura a mulher pelo quadril e eleva a pélvis, controlando a intensidade da penetração.

  • Roda de Kama

O homem se agacha, a mulher eleva as pernas. Nessa posição, a penetração é mais profunda.

SEXO NA GRAVIDEZ. PODE?

Por dentro do corpo da grávida

 Sexo na gravidez não faz mal par o bebê. Vença alguns mitos.

Útero

Há um mito de que as contrações do útero na hora do orgasmo podem expulsar o bebê. Isso é um engano.sexo não provoca aborto e nem parto prematuro. Só é preciso tomar mais cuidado durante uma gravidez de risco.

Bolsa

O esperma não chega até o bebê. Não há como isso acontecer, pois o feto está protegido pela bolsa. O esperma não consegue ultrapassa-la.

canal do colo do útero

O Pênis não toca  o bebê durante a penetração, pois não consegue passar pelo canal que fica entre o colo do útero e a bolsa, onde está o feto. Esse canal mede menos de 0,5cm.

Colo do útero

Os movimentos do pênis dentro da vagina na hora do sexo não machucam o bebê. A penetração, por mais profunda que seja, vai no máximo até o colo do útero, que funciona como amortecedor. A glande (cabeça do pênis) é macia, o que também amortece a penetração. Resumindo: transar na gravidez não faz mal.

ABSTINÊNCIA SEXUAL – “ NORMAL OU DOENÇA.”

ABSTINÊNCIA SEXUAL – “ NORMAL OU DOENÇA.” 

A abstinência sexual  voluntária é o ato de abster-se parcialmente ou completamente de relações sexuais vaginal, oral, anal ou na forma de masturbação envolvendo dois ou mais indivíduos. A abstinência sexual involuntária é a privação obrigatória por motivos religiosos, filosóficos, físicos, psicológicos ou morais. Se for uma abstinência voluntária os efeitos físicos e psicológicos negativos podem estar ausentes. É uma opção naquele momento de usar toda sua energia em outras atividades que não o sexo. É uma atitude muitas vezes natural e uma decisão temporária ou definitiva. Conseguimos viver “normalmente” sem sexo.

De acordo com a sabedoria popular, a ausência de uma rotina sexual pode levar as pessoas a se tornarem ranzinzas, mal-humoradas e com baixa autoestima. Na prática, ao ter orgasmo a pessoa libera endorfina e uma série de substâncias dentre elas a serotonina – neurotransmissor que desempenha um papel importante na regulação do humor, no apetite sexual e alimentar, função motora, no ciclo sono-vigília e na percepção da dor , que resultam numa melhor disposição da pessoa. Por outro lado, muitas vezes é visível o desconforto que sentem as pessoas que não mantêm uma vida sexual ativa.

Quando não fazer sexo é uma imposição filosófica ou religiosa, a situação pode se tornar um tormento na vida da pessoa que leva a uma ansiedade intensa. O sexo não é uma função vital de nossas vidas, muitos conseguem viver normalmente praticando a masturbação ou até mesmo na abstinência total. Relações sociais e íntimas bem sucedidas estão diretamente relacionadas à felicidade e a saúde geral. Uma pessoa que não consegue se relacionar intimamente seja por vergonha, problemas de caráter ou qualquer outro motivo pode sofrer grandes distúrbios psicofísicos e, por isso, há grandes chances de chegar a uma depressão.

Existe a aversão sexual, onde a pessoa rejeita qualquer atividade erótica e se forçada terá reações físicas de leve a forte intensidade: cefaléia, vômitos, diarréia, sudorese e taquicardia. Ela simplesmente não gosta e rejeita. É diferente do desejo hipoativo, onde a pessoa por questões emocionais ou físicas evita o as atividades e situações eróticas. Resolvidas as dificuldades a resposta sexual retorna ao seu normal, ou melhor.

Durante a fase de abstinência sexual a busca pelo prazer através da masturbação é muito comum. Esta forma de proporcionar prazer em si próprio sem a participação de um parceiro pode, ou não levar ao orgasmo.  A masturbação deve ser encarada como uma forma alternativa de exprimir a própria sexualidade em situações de exploração do próprio corpo ou quando do isolamento de um parceiro sexual. A idéia antiquada e sem fundamento de que  a masturbação é prejudicial à saúde deve ser rejeitada pois se sabe que ela pode ajudar no conhecimento das nossas próprias  respostas sexuais e  na preparação do corpo para o contacto com um(a) futuro(a) companheiro(a). A masturbação é usada há muito tempo e ainda hoje pelos terapeutas sexuais, como parte das técnicas de tratamento das disfunções sexuais masculinas e femininas.

A masturbação existe em todos os grupos de idades, desde as crianças aos idosos. Todas as formas de masturbação praticadas com a participação de um companheiro fazem parte dos jogos de amor e podem ajudar na excitação. Esta forma de sexo é muitas vezes encarada de forma crítica, como uma prática perversa. Concluindo a masturbação pode substituir o sexo em situações onde a penetração está dificultada por muitos motivos físicos ou emocionais onde se pratica a sexualidade não penetrativa, que pode ser muito gratificante e prazerosa

 

MITOS NA SEXUALIDADE HUMANA

MITOS NA SEXUALIDADE HUMANA

 

1-As mulheres são naturalmente menos sexuadas do que o homem!

ERRADO=A sexualidade é igual no homem e na mulher.

2-A masturbação excessiva leva o homem a impotência e a mulher a anorgasmia (não chega ao orgasmo)!

ERRADO=Não tem nada a ver uma coisa com a outra.

3-A mulher grávida não pode ter relações sexuais, pois pode perder ou machucar a criança!

ERRADO= Durante uma relação sexual normal, não violenta, o pênis não penetra dentro do útero e não fere o feto.

4-O tamanho dos pés, nariz ou das mãos é indicativo do tamanho dos genitais!

ERRADO= Não há nenhuma correlação entre estas partes do corpo.

5-A esterilização (vasectomia ou a laqueadura), em ambos os sexos, diminui o desejo!

ERRADO= Os dois procedimentos cirúrgicos só impedem a gravidez e não altera nada na sexualidade masculina e feminina.

6-A mulher histerectomizada (que retira o útero em cirurgia) deixa de ter orgasmo!

ERRADO= A retirada do útero só impede que a mulher não engravide, mas as suas respostas sexuais permanecem inalteradas.

7-O tamanho do pênis, do clitóris ou das mamas é indicativo de maior ou menor capacidade sexual ou de maior prazer!

ERRADO=A capacidade sexual depende do amadurecimento sexual de cada um e o prazer depende do envolvimento, do tesão e da entrega total dos parceiros no jogo sexual.

😯 número excessivo de masturbações quando adolescente faz com a potência sexual caia quando adulto!

ERRADO=Uma coisa nada tem a ver com a outra; Porém o excesso pode levar a um desgaste físico que atrapalha outras atividades normais nesta faixa de idade como a escola e atividades esportivas.

9-A masturbação faz crescer pelos nas mãos e provoca espinhas!

ERRADO= A masturbação é um ato natural e não provoca qualquer doença.

10- Algumas DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis) podem ser pegas em sanitários públicos ou sem higiene adequada!

ERRADO=Os microorganismos causadores de DST não conseguem sobreviver nestes locais e, portanto não podem ser transmitidas por este meio.

11 -Um pênis grande é importante para a gratificação sexual da mulher!

ERRADO=O tamanho do pênis nada tem a ver com maior ou menor prazer sexual, tanto no homem como na mulher.

12-O homem deve sempre ser ativo e tomar a iniciativa da relação sexual!

ERRADO=A mulher tem os mesmos direitos e deveres sexuais no relacionamento sexual. Portanto a mulher pode ousar e ajudar muito no sexo no casamento aumentando muito a excitação do parceiro e a sua resposta sexual.

13-Se o homem não ejacula com frequência o esperma sobe para a cabeça e o deixa louco!

ERRADO=Se o homem não ejacular por algum tempo o organismo vai renovando os espermatozoides destruindo os mais velhos, mantendo sempre um número estável, e sempre localizado nos testículos.

14-A partir dos 60 anos o homem não tem direito ao sexo!

ERRADO= O homem e a mulher não têm limites de idade para praticar a sua sexualidade. Deve ter adaptações sexuais pelas mudanças  no corpo, mas pode ter um sexo sadio, prazeroso e constante.

 

Na sexualidade todos nós devemos  sempre ler, estudar, conhecer bem suas sensações e respostas sexuais para poder viver com toda a plenitude a capacidade que temos de dar e receber prazer.

GUIA DA MASTURBAÇÃO MASCULINA

GUIA DA MASTURBAÇÃO MASCULINA

– Por que é importante ter cuidado na hora de masturbar o parceiro? O pênis é bastante resistente e frágil ao mesmo tempo. Os cuidados têm que ser com unhas e movimentos bruscos e violentos que podem levar até a uma fratura do pênis: uma emergência urológica com indicação cirúrgica. A dica é sempre usar bastante lubrificante e aprender a técnica com o parceiro.

– Qual o primeiro passo antes da masturbação?Namorar é preciso. Assim a química da excitação e assim a ereção virá naturalmente. Sem dúvida que o momento exige tempo, local adequado, muita lubrificação e muita erotização

– Deve-se começar devagar com movimentos suaves até que o parceiro comece a ficar animado? Por quê?Não existe uma receita de bolo da masturbação. No sexo a busca de prazer é individual e cada um gosta do seu jeito. Aprenda com as dicas do parceiro. Ele vai ensinar direta ou de forma indireta como ele curte este carinho.

– Depois que ele ficar bem animado, é importante manter um ritmo rápido até que ele chegue ao orgasmo? Em relação à pegada, ela deve ser mais firme no momento em que ele estiver mais excitado?O grande erro na masturbação é a pegada ( forma de pegar com a mão) e a pressão no pênis. Não pode ser forte demais ou fraca. Geralmente o homem quando se masturba movimenta a pele do pênis sobre a glande (cabeça do pênis). A mulher estica a pele do pênis para baixo e esfrega a palma da mão sobre a glande. Assim a excitação é mais lenta, pode provocar irritações no prepúcio e o orgasmo demora mais tempo ou não ocorre.

– Deve-se usar as mãos, seios e a boca para fazer carinhos em outros lugares do corpo enquanto há a masturbação?Sem dúvida usar os 5 sentidos é essencial para aumentar a excitação.

– Existe uma posição ideal para que a mulher fique confortável e sensual na hora de estimular o seu parceiro?Como disse esta prática tem gostos individuais e a posição perfeita é a que traz o maior conforto para o casal.

– Deve-se ficar atenta às reações do homem (gemidos, pênis pulsante, etc) nessa preliminar? Também é interessante perguntar se ele está gostando ou não do carinho?O ideal é o relaxamento dos parceiros e não se ter tanta preocupação se está agradando ou não, SEM PERGUNTAS. A criatividade, o carinho, a entrega e geralmente o vínculo afetivo levam a um prazer maior e ao estar feliz.